Labas! Conheça lugares que resgatam a memória da imigração lituana em São Paulo

A Lituânia é um pequeno país localizado no continente europeu e integra, com a Estônia e a Letônia, os chamados países bálticos. Com uma população aproximada de 2,8 milhões de pessoas, celebrou, no último dia 16 de fevereiro, 101 anos de Independência. A data foi comemorada não apenas na capital do país, Vilnius, mas em todos os países que constituíram colônias lituanas no passado.

Castelo de Trakai, na Lituânia

A cidade de São Paulo, no Brasil, abriga a segunda maior colônia de lituanos do mundo, atrás somente da cidade de Chicago, nos Estados Unidos. Embora a população brasileira de origem lituana seja de aproximadamente 1 milhão pessoas, a presença de povos originários dessa região ainda é pouco conhecida no país, talvez por ter sido numericamente menor, se comparada, por exemplo, à imigração italiana ou portuguesa.

Apesar disso, a colônia lituana brasileira ainda preserva as ricas tradições do país báltico. Você mora em São Paulo ou planeja visitar a cidade? Aproveite essa oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a história e a cultura da Lituânia.

Uma breve história da imigração lituana em São Paulo

Antes de falarmos sobre algumas manifestações da cultura lituana na cidade de São Paulo, é válido resgatar um pouco sobre a história da imigração no estado paulista, que remete ao início do século XX. Nesta época, o ciclo do café impulsionava a economia brasileira e, com a abolição da escravatura (1888), era necessário atrair trabalhadores para as lavouras. Assim, o governo brasileiro promoveu a primeira campanha de divulgação do Brasil na Lituânia, baseada em promessas de transporte gratuito, oportunidades de trabalho, bons salários e terras baratas, uma oportunidade tentadora para aqueles que buscavam uma vida melhor.

Atraídos pela propaganda, a primeira leva de lituanos dirigiu-se às fazendas brasileiras, onde, contrariando todas as promessas, foram submetidos a condições de trabalho análogas à escravidão. Diante desta situação, a maioria dos imigrantes foi obrigada a abandonar ou fugir das fazendas. Muitos partiram do interior do estado de São Paulo para a capital paulista, onde tornaram-se operários no setor industrial. Estima-se que, entre 1926 e 1938, cerca de 48 mil pessoas partiram da Lituânia em direção ao Brasil, instalando-se, principalmente, no estado de São Paulo.

Um roteiro histórico-cultural da Lituânia em São Paulo

Na capital paulista, o bairro da Vila Zelina é conhecido por abrigar boa parte da comunidade, porém registros da colonização lituana também podem ser encontrados em outras regiões, como no bairro paulistano da Mooca e no ABC paulista, historicamente conhecidos como polos industriais. Conheça alguns lugares da cidade de São Paulo que permitem uma verdadeira imersão na cultura lituana:

HISTÓRIA

Igreja São José de Vila Zelina

Igreja São José de Vila Zelina

Inaugurada em 16 de fevereiro de 1936, data da independência da Lituânia, a Igreja São José de Vila Zelina é um marco da colonização lituana na cidade de São Paulo. Inicialmente reservada aos lituanos, em 1940 foi elevada à categoria de paróquia, servindo a toda comunidade do bairro e adjacências. O primeiro pároco da igreja foi Monsenhor Pio Ragazinskas, que deu nome a uma das ruas principais do bairro da Vila Zelina.

A igreja também é sede da Comunidade Lituano-Brasileira, entidade que procura reunir os lituanos e descendentes de todo o Brasil, promovendo atividades culturais, cívicas e festas tradicionais. “Temos aula de lituano, grupos de danças folclóricas, feirinhas e aulas de artesanato típico”, conta Ana Paula Tatarunas, membra ativa da comunidade. Dada a sua importância, a paróquia também recebe com frequência visitas de membros de comunidades lituanas de outros países, além de autoridades e turistas do país báltico. 

Nos dias 23 e 24 de março, acontece o último final de semana da 39ª Festa de São José, sediada na Igreja São José de Vila Zelina. É uma oportunidade de conhecer o local e provar comidas típicas de diversos países, incluindo da Lituânia.

Visite: Praça República Lituana, 74 – Vila Prudente – São Paulo – SP.  Horários da 39ª Festa de São José: Sábado (23/03), das 18h às 22h, e Domingo (24/03), das 12h às 21h. Facebook. Telefone: (11) 3805-2827.

Praça República da Lituânia

Monumento à Liberdade

Localizada em frente à Igreja São José, a praça possui um monumento inaugurado em 1985 pela comunidade lituana local.  “Ele representa a liberdade e é uma cópia fiel de um monumento situado na cidade de Kaunas, na Lituânia”, conta Ana Paula Tatarunas. A imagem consiste em uma figura feminina rompendo as correntes da opressão, visto que, quando o monumento foi inaugurado, a Lituânia ainda estava sob ocupação da União Soviética.

Visite: Praça República Lituana, s/n – Vila Prudente – São Paulo – SP.

Aliança Lituano Brasileira – SAJUNGA

Sede da Sajunga. Foto: Sajunga

Fundada em 1931 por imigrantes lituanos para colaborar com a adaptação dos recém-chegados ao Brasil, hoje é uma sociedade mista de lituanos e brasileiros, com o objetivo de estreitar a amizade entre os dois povos. Promove diversas atividades de divulgação da cultura lituana, especialmente em datas comemorativas. A agenda de eventos pode ser conferida no site da organização.

Visite: Rua Lituânia, 67 – Mooca – São Paulo – SP. Site. Telefone: (11) 2601-1434.

CULTURA

Fundação Ema Klabin

Labas, em lituano, significa “Olá”. Foto: Fundação Ema Klabin

A sede da Fundação Cultural Ema Gordon Klabin, registrada em 1978, corresponde à antiga residência de Ema Klabin, empresária de origem lituana, hoje é um museu aberto à visitação pública. Em conjunto com o Consulado Geral da Lituânia em São Paulo e a Comunidade Lituano-Brasileira, a Fundação promove o Festival da Lituânia LABAS, que conta com uma série de atividades relacionadas à Lituânia, como shows de música e danças tradicionais, oficinas de artesanato, exposições de arte e preparo de pratos típicos. Em 2019, o festival deve ocorrer nos dias 4 e 5 de maio.

Visite: Rua Portugal, 43 – Jardim Europa – São Paulo – SP. Site. Telefone: (11) 3897-3232. Visitação livre aos sábados e domingos das 14h às 17h (grátis).

Feira Cultural Leste Europeia de São Paulo

Feira Cultural Leste Europeia. Foto: Hypeness

Organizada pela AMOVIZA (Associação dos Moradores e Comerciantes do Bairro de Vila Zelina), a Feira Cultural Leste Europeia de São Paulo oferece pratos e artesanatos típicos de países como Rússia, Lituânia, Ucrânia, Belarus, Polônia e Armênia. Embora a Lituânia seja um país báltico, e não parte do leste europeu, o país possui um estande na feira, onde oferece biscoitos artesanais decorados com temas lituanos produzidos por Aparecida de Carvalho Canassa. As datas das próximas edições da feira, que acontece mensalmente aos domingos, podem ser conferidas na página da associação.

Visite: Rua Aracati Mirim, s/n – Jardim Avelino – São Paulo – SP. Ao lado do Parque Ecológico Vila Prudente. Facebook.

Margučiai – Arte de decoração em ovos

Ovos de madeira decorados

Janete Zizas é especialista na decoração dos chamados margučiai, espécie de ovos de Páscoa lituanos. No processo, são utilizados ovos de galinha e os desenhos são feitos com cera de abelha derretida. As cores utilizadas no tingimento se relacionam a desejos positivos. A artesã também produz ovos de madeira e outras peças pintadas à mão que retratam paisagens e personagens típicos. Além da venda das peças, Janete também organiza bazares e oferece cursos e oficinas.

Contato: Instagram: @artesjanete. Telefone: (11) 97195-8106.

Tautines Juostos – Faixas típicas

Tautines Juostos

Cláudio Kupstas efetua a tecelagem das chamadas Tautines Juostos, faixas típicas lituanas utilizadas em festas e ocasiões especiais. O artesão é o único no Brasil e um dos poucos do mundo a dedicar-se a esse tipo de atividade de forma manual. Cada faixa é única e leva cerca de três dias para ficar pronta. É possível adquirir as faixas em eventos ou sob encomenda.

Contato: Facebook. Telefone: (11) 98757-1935.

Grupo de Danças Folclóricas Lituanas Nemunas Ansamblis

Fundado em 1971 com iniciativa do padre lituano Antanas Saulaitis e liderança de João Lukosevicius, o grupo busca representar a história e a cultura lituana através da música. Seu nome é uma homenagem ao rio Nemunas, o maior da Lituânia. Por isso, nas danças há músicas, contos e poemas que falam sobre ele, sua beleza e as histórias vividas as suas margens.

O Nemunas já participou de diversos festivais internacionais, que reúnem lituanos e descendentes de todo o mundo. “Através da dança, o grupo busca manter a raiz e a cultura lituanas vivas e repassadas de geração para geração. Pais e filhos já dividiram o palco em diversas ocasiões. Como uma grande família, conta com integrantes de diferentes idades, personalidades e gostos, mas uma coisa é comum a todos: são apaixonados pela Lituânia e sua música”, conta Natália Baria Zizas, presidente do grupo.

Contato: Telefone: (11) 98456-2624. E-mail: natibaria@gmail.com. Facebook.

Grupo de Danças Folclóricas Lituanas Rambynas

Fundado em 1998, o Rambynas tem como objetivo resgatar, manter e divulgar a cultura lituana através de danças folclóricas. As tradições se manifestam através dos trajes típicos com bordados coloridos e do repertório musical que representam várias regiões da Lituânia. O grupo já participou de festivais nacionais e internacionais. Os ensaios acontecem todos os domingos na Aliança Lituano Brasileira – SAJUNGA, e os interessados em participar podem entrar em contato.

Contato: Telefone: (11) 2341-3542. Site

GASTRONOMIA

Bon do Kupstas

Especialidades do Bon do Kupstas. Foto: Bon do Kupstas

Criado em 2017, o restaurante é liderado por Gabriel Bon Carrate e Cláudio Kupstas. Oferece uma série de pratos típicos lituanos, como o Virtiniai (massa recheada), o Cepelinai (bolinho de batata ralada recheado) e a Saltibarsciai (sopa fria de beterraba). Entre os doces, destacam-se o Grybukai, um simpático bolinho de açúcar mascavo e especiarias em formato de cogumelo, e a torta de sementes de papoula. Também é possível provar o Krupnikas, licor de mel de fabricação própria.

O restaurante ainda não possui um espaço físico, mas atende pedidos via telefone e plataformas online (Ifood e Uber Eats) na Vila Prudente e região. Também oferece uma experiência gastronômica exclusiva: um jantar à luz de velas para até 4 pessoas, em uma varanda com uma linda vista do 20° andar. O serviço inclui o menu completo (entrada, prato principal, sobremesa e bebidas).

Encomende: Telefone: (11) 98757-1935 ou (11) 99351-4787. Facebook.

Rotisserie Delícias Mil

Rotisserie Delícias Mil

A rotisserie, situada na Vila Zelina, oferece uma grande quantidade de doces e salgados típicos da Lituânia, além de produtos tradicionais. Entre as iguarias lituanas, encontram-se o Virtiniai (ravióli caseiro recheado), Cepeliniai (nhoque recheado), Balandeliai (charuto de repolho), Kugelis (torta de batata), Zuikys (bolo de carne), Koselena (gelatina de carne), Silke (sardinha marinada), Kopustas (repolho), Agurkas (pepino),  Obuoliu Piragas (bolo de maçã), Raudoni Vaisiai Tortas (frutas vermelhas), Obuoliu Tortas (torta de maçã), Krustai (bolinho de chuva crocante) e Krupnikas (licor de mel).

Visite: Rua Monsenhor Pio Ragazinskas, 17 – Parque da Vila Prudente – São Paulo – SP. Funcionamento: Terça à Sábado, das 9h às 19h. Domingo, das 9h às 14h. Telefone: (11) 2341-3371.

Marinados Ido Klieger

O senhor Ido Klieger, além de atuar como Presidente da Aliança Lituano Brasileira, é especialista na produção artesanal de marinados típicos da Lituânia. Entre os produtos vendidos em conserva, está o arenque, peixe encontrado nas águas temperadas das regiões do Atlântico Norte, além do Mar Báltico. Outra opção de conserva é o relish de legumes, de sabor agridoce, preparado pela senhora Inês, esposa de Ido.

Encomende: Telefone: (11) 2917-4255 ou (11) 99146-9164.

Bar do Vito

Fundado em 1942 por Vitautas Tunnelis, imigrante da Lituânia, o bar é atualmente um ponto de encontro de lituanos e descendentes. Segundo um dos proprietários, Alexandre Sutkawicius, o estabelecimento oferece música ao vivo, bebidas e porções variadas. De prato de origem lituana, mantém o Virtiniai, uma massa recheada com queijo ou carne coberta com molho branco.

Visite: Av. Zelina, 851 – Vila Zelina – São Paulo – SP. Funcionamento: Terça à sexta, das 17h00 às 23h30. Sábados, das 12h00 às 20h00. Domingos, das 12h00 às 18h00. Facebook. Telefone: (11) 2341-6994.

Padaria A Praça

Padaria A Praça

Fundada em 1955, a padaria faz parte da história do bairro da Vila Zelina. Embora seja um estabelecimento de origem portuguesa, e não lituana, a panificadora mantém entre seus produtos o tradicional pão preto, bastante apreciado entre os imigrantes e descendentes dos países bálticos e do leste europeu que residem na Vila Zelina.

Visite: Praça República Lituana, 27 – Vila Zelina, São Paulo – SP. Funcionamento: Diariamente, das 6h às 23h. Telefone: (11) 2341-6660 ou (11) 2345-8880. Site.

Você é de família lituana? Todo descendente tem direito à restituição da cidadania até a quarta geração (bisnetos). Conheça os serviços da Assessoria Lituana e Traduções e monte seu processo. Contato: (11) 98990-9563 (WhatsApp)/2093-8560.

Gostou da nossa reportagem? Faltou algum lugar na lista? Entre em contato conosco!

Gostaria de conhecer mais sobre a Lituânia? Leia a narrativa Dois dias em Vilnius e uma vida de memórias.

0 thoughts on “Labas! Conheça lugares que resgatam a memória da imigração lituana em São Paulo

  1. Muito interessante a matéria, fiquei conhecendo um pouco da história dos imigrantes lituanos, suas festas, artesanatos, etc.( Não vi os artesanatos mas fiquei sabendo onde encontra-los).

  2. Sou da vila Alpina, descendente fe lituanos, amo a vila Zelina, sempre vou comprar pão preto, cada vez que passo por lá, volto a infância!

    1. Que legal Márcia! Eu também sou descendente de lituanos e moro pertinho, na Mooca. Meus bisavós lituanos já moraram na Vila Alpina. Também costumo ir até a Vila Zelina comprar o pão e outras delícias. Que bom que gostou da reportagem. Obrigada pelo comentário. Um abraço

  3. Vivi na Vila Zelina ate os 11 anos estudei o primario no fundo da igreja e o ginasio no Sao Miguel.Meu pai nasceu em Vilnius meu avo era imigrante russo na Lituania,meus avos maternos eram nascidos no interior do pais.Reynaldo

    1. Oi Reynaldo! Que bacana conhecer sua história. Eu conheci o colégio onde você estudou. No mês passado ocorreu um evento de comemoração da independência da Lituânia lá. Foi muito legal. Meus bisavós também são lituanos e minha avó também nasceu no interior de São Paulo. Talvez eles tenham até se conhecido, já pensou? Obrigada pelo comentário. Um abraço

    1. Que bom que gostou Valdemar! Em breve teremos mais matérias sobre a Lituânia. Acompanhe nossa página no Facebook e receba as novidades. Obrigada pelo comentário. Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *